Parmesão, umami e seis boas razões para ralar seu queijo em casa

parmesãoPor Renata Curzi e Carla Reis

Não é segredo para ninguém que um pouquinho de parmesão ralado na hora levanta qualquer prato. Mas nem todo mundo sabe a razão. Afinal, porque esse queijo é tão irresistível? A resposta está no “quinto sabor”.

É científico. Os queijos da variedade do parmesão (parmegiano reggiano, sbrinz, grana padano, parmezano, etc) são uns dos alimentos mais ricos em umami – tipo de gosto detectável pelo paladar humano capaz de harmonizar, arredondar, os outros quatro sabores básicos: doce, amargo, salgado e ácido. Quanto mais maturado o queijo, maior a concentração natural de glutamato, uma das substâncias responsáveis pelo gosto umami.

Mas nem só de um componente químico vive a fama dessa categoria: o contraste da textura quebradiça que derrete na boca e os pequenos cristais de tirosina  presentes no queijo bem maturado (já falamos sobre isso quando postamos sobre o Parmegiano reggiano) completam essa obra de arte gastronômica.parmesão1

No entanto, muita gente perde boa parte dessas qualidades comprando o queijo já ralado. Atire a primeira pedra quem nunca foi vencido pela preguiça e colocou no carrinho do supermercado o seu pacotinho de comodidade. Convenhamos, ralar um bom pedaço de parmesão leva menos de 2 minutos!! Que trabalho há nisso? E a qualidade, o sabor, a textura, e tudo o mais dão de mil a zero no produto processado. Quer mais razões para deixar a falta de disposição de lado e fazer as pazes com o ralador? Nós listamos algumas:

  1. Parmesão? Nossa legislação permite que seja usada a nomenclatura “Queijo Parmesão Ralado” quando haja no mínimo 75% de parmesão, os outros 25% podem ser outro tipo de queijo duro. Já a denominação “Queijo Ralado” pode conter 1 a 4 tipos de queijos de baixa umidade, ou seja, dificilmente saberemos com certeza qual tipo de queijo estamos comprando.
  2. Mudança de textura. Após passarem pelo processo de ralagem ou esfarelamento, os queijos  são desidratados, processo que altera sua textura deixando-a seca e friável. Esta etapa é necessária para evitar que o excesso de umidade possibilite o desenvolvimento de mofo dentro da embalagem, o que torna o produto impróprio para o consumo.
  3. Qualidade. Não existe um critério bem definido  para determinar o grau de maturação do queijo que será destinado a ralar, o que compromete, e muito, o sabor do produto. Mesmo queijos ralados de marcas tradicionais, perdem no sabor quando comparados ao queijo in natura ralado na hora.
  4. Contaminações. Todo o processamento de queijo ralado deve ser muito bem controlado para evitar a contaminação. A ralagem aumenta a superfície exposta, aumentando as possibilidades para a ação de bactérias, fungos.
  5. Aditivos. Quase todas as marcas adicionam conservantes e antiaglutinantes aos queijos depois de ralados.
  6. Preço. Compare o preço do queijo já ralado com o preço do mesmo queijo in natura para corte. Você vai se surpreender! Os queijos ralados mais baratos custam R$ 2,00 por 50g. O seja, R$40,00 por quilo, o mesmo preço de um parmesão uruguaio de excelente qualidade.

Dicas de conservação

  • Mantenha o queijo para ralar  em um recipiente fechado (pote plástico com tampa), envolto em papel toalha ou guardanapo e depois em um filme ou saquinho plástico. O papel absorve o excesso de umidade e evita o mofo.
  • Há quem coloque dentro do pote de armazenamento um torrão de açúcar. A  função do açúcar é também absorver a umidade e evitar o mofo. Esta dica é válida também para guardar a sobra do queijo já ralado.
  • Mantenha o recipiente com queijo na gaveta de legumes, que é um local menos frio da geladeira.
Anúncios

12 respostas em “Parmesão, umami e seis boas razões para ralar seu queijo em casa

  1. Parabens! Carla, como sempre !
    Mas tambem tem otra opçao para ralar, um pouco de nixo mais de quantidade que para preço.sendo italiano, ainda não ví aqui em sampa um queijo como o Gransardo, queijo com leite de ovelha curado para 36 meses, é uma maravilha que não si si pode reproduzir aqui no Brasil :
    http://gransardo.com/

  2. Imagina! Carla, obrigada vôce.
    Queria taõ conocher com minha esposa um laticicinio bacana aqui São Pãulo quem sabe voõce me pode ajudar….
    Feliz dia della Mamma!
    abraços

  3. Pingback: Como apreciar o queijo Brie | oquedoqueijo

  4. Pingback: Ricota, o queijo que não é queijo | oquedoqueijo

    • Oi Mara, pode congelar mas prefira usá-lo depois para culinária. O congelamento altera a textura do produto que fica mais quebradiça.
      Este queijo se bem congelado, resiste longo tempo.
      O grana pode ser armazenado por até 1 ano , mas é bom evitar consumi-lo após a validade.
      Caso tenha outras dúvidas, temos no blog um post especial sobre “como conservar os queijos”.
      Espero tê-la ajudado! Abraços Carla

  5. Pingback: Mac n´Cheese – O prato dos “Presidentes” | oquedoqueijo

  6. Pingback: Visita a Murray´s Cheese em Nova York | oquedoqueijo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s