App para combinar Queijos, Vinhos e Cervejas

Por Carla Reis

Com a grande variedade de queijos disponíveis no mercado escolher um par perfeito pode ser um desafio! Não é raro nos perdermos neste mundo de opções e sair do supermercado sem a certeza que fizemos a melhor escolha…

Pesquisando hoje sobre o mundo dos queijos , encontrei no site de uma empresa Californiana, uma novidade interessante : um aplicativo (app) que  orienta os consumidores sobre as melhores combinações entre queijos de sua marca com vinhos e cervejas.

Nada como usar a tecnologia para facilitar nossa vida, afinal estamos conectados todo o tempo.

Uma “santa ajuda” na hora de comprar

O aplicativo orienta a compra dos queijos: é simples e fácil de usar.

Uma vez ativado, basta escolher  a bebida ou o queijo e clicar em “ Pair Savvy” que o aplicativo fará a combinação e você vai visualizar  uma lista com todas as sugestões possíveis. Alguns pares sugerem até mesmo as frutas e outros acompanhamentos mais indicados para auxiliar na montagem de uma tábua.

Testei e adorei: simples, criativo e útil.

Espero que vocês gostem da dica, afinal boas ideias merecem ser compartilhadas, não é mesmo?

Nota:

O app California Cheese ” Pair Savvy ” está disponível para smartphones no PairSavvy.RealCaliforniaMilk.com .
Basta fazer o download , que é grátis e compatível com todos smartphones. Para mais detalhes segue o link do site:  http://pairsavvy.realcaliforniamilk.com/.

O app está disponível somente em inglês.

Anúncios

Por que a mussarela não “desfia” mais como antigamente?

Mussarela nozinho

Por Renata Curzi

Esse post é uma resposta para o Luiz Arnault, José e Cristina Cavallieri que têm saudades de desfiar a mussarela e comer as fitas formadas com café bem quentinho. Inconformados, eles questionaram por que não conseguem mais encontrar queijos com essa característica.

Para escrever sobre isso, consultei o Múcio Mansur Furtado, um dos maiores especialistas do Brasil, PhD e autor de vários livros sobre tecnologia de fabricação de queijos, entre eles um especificamente sobre Pizza Cheese.

Para começar essa história, um título alternativo para esse post poderia ser :

“A evolução de um queijo motivada por exigências do mercado”.

Mussarela desfiando no processo de filagem. Foto de Múcio Mansur Furtado

Mussarela desfiando no processo de filagem.
Foto de Múcio Mansur Furtado


Nossos leitores estão certos, até pouco tempo atrás a mussarela de leite de vaca tinha características bem diversas das que encontramos atualmente nas peças do supermercado. Hoje as maiores exigências do mercado brasileiro para esse queijo são a facilidade de ser fatiado e de derreter bem para, principalmente, atender à demanda de um dos seus maiores consumidores, as pizzarias.

Os laticínios fizeram as adequações tecnológicas. Lembro-me de que quando ainda trabalhava em uma fábrica de queijos, recebíamos o recado: “- Os supermercados estão reclamando que a mussarela não está fatiando!”. E lá íamos nós, os técnicos, agarrar-nos à apostila do Múcio na expectativa de corrigir o ‘problema’.

Basicamente alterou-se o tipo de fermento, o teor de gordura e de sal. Outra diferença na mussarela tradicional é o uso de leite cru, que resulta em um produto mais mineralizado, ou seja, que possui um maior teor de cálcio solúvel. Múcio ensina que desfiar é característica da mussarela, mesmo após todas as mudanças tecnológicas, só que agora isso só acontece quando está muito fresca, com até 1 semana de fabricação. Difícil encontrar queijos assim nos supermercados. Continuar lendo

Tomate recheado com Ratatouille de queijo Reino ao vinagre balsâmico

Por Carla Reis

Ratatouille4

Verão chegando e nada como uma receitinha leve e rápida para curtir as longas tardes de sol.

Este final de semana bateu a inspiração e resolvi testar uma receita que vinha adiando: tomate recheado com ratatouille de queijo.

O ratatouille é um prato francês originário da região de Provence no século XVII.

Ficou ainda mais conhecido depois do filme com aquele ratinho simpático chef de cuisine! É a base de vegetais frescos e pode ser servido quente ou frio como entrada ou aperitivo.

Simples e saboroso: duas qualidades que prezo quando se trata de cozinhar. Não gosto de fazer nada demorado…

Mas vamos à receita:

Fiz uma adaptação usando queijo tipo Reino ao invés do queijo Comté da receita original:

  • 2 abobrinhas frescas;
  • 4 tomates inteiros ( maduros , mas firmes);
  • 200g de queijo Reino maturado;
  • Azeitonas pretas sem caroço;
  • Azeite de oliva extra virgem;
  • Vinagre balsâmico;
  • Ervas frescas: alecrim e manjericão;
  • Sal e pimenta do reino moída.

Abra os tomates e retire as sementes com auxílio de uma colher.

Corte o queijo reino em cubos ( retire a casca púrpura).

Em um recipiente à parte, corte a abobrinha em cubos e pique as ervas em pedacinhos bem pequenos.

Em uma panela antiaderente refogue a abobrinha no azeite junto com as ervas , pimenta e sal. Quando a abobrinha estiver “al dente” misture as azeitonas. Coloque 4 colheres de vinagre balsâmico e deixe por 2 ou 3 minutos na chama baixa.

Retire a panela do fogo e adicione o queijo reino misturando lentamente. Quando o queijo começar a derreter, o ratatouille estará pronto para rechear os tomates.

Decore os tomates recheados com alegrim e azeitonas pretas. Sirva com pão francês e cerveja bem gelada!

Ratatouille

Aí é só relaxar e aguardar os elogios. Afinal, como dizia o ratinho do filme:“todos podem cozinhar”!

Ratatouille2“ Boa culinária não é para os fracos de coração.
É para as mentes criativas! Corações fortes!
As coisas podem até dar errado, mas não devemos deixar que ninguém defina nossos limites a partir de sua origem.
O único limite é a alma.”
(Ratatouille)