Queijo Serro da Estrela?

Por Renata Curzi

Volto a escrever para chamar a atenção de nossos leitores. Um amigo sentiu-se enganado e lesado e pediu para eu escrever sobre a experiência dele para que outras pessoas não fossem induzidas ao mesmo erro.

Queijo serro da estrela

Esse amigo, o César, comprou no Mercado do Cruzeiro de BH, um queijo chamado “Serro da Estrela” ( R$ 25,00 por 250 gramas). O vendedor garantiu que era um produto de primeira qualidade, similar ao Serra da Estrela português (DOC), molinho por dentro, do tipo que dá para comer com colher.

Mas não foi nada disso que ele constatou ao provar o produto.“Passei vergonha, levei o queijo para um encontro de família achando que todos iriam gostar. As pessoas provaram e, educadamente, ficaram quietas. Eu experimentei e vi que o queijo não tinha gosto de nada, parecia uma massa de requeijão ”, conta ele.

O César tem razão. Na verdade, ele quase acertou. O ‘Serro da Estrela’ é na verdade um queijo processado. Não tem nem como compará-lo com o famoso ‘Serra da Estrela’ português. Não podemos nem mesmo dizer que é uma imitação porque são fabricados com técnicas completamente diferentes. Para ficar bem didático, vou explicar tudo sobre o produto que o nosso amigo comprou em tópicos:

1. Não é queijo

Na verdade pertence à categoria dos ‘queijos processados’. A consistência do produto e certo sabor metálico (*) não negam a sua identidade. Para confirmar basta olhar a lista de ingredientes (veja a foto). O ‘serro da estrela’ é feito a partir do derretimento de outros queijos e adição de leite em pó, manteiga, sal fundente, conservantes e acidulantes. Não passa de um queijo fundido mais duro por fora, recheado com um tipo de requeijão.

Queijo serro da estrela 2

2. Inspeção sanitária

Esse queijo está em várias lojas do Mercado Central, mas não poderia ser vendido aqui. É que ele tem somente o selo do serviço de inspeção municipal-SIM, sua venda é restrita à cidade de São Paulo onde é fabricado. Para que pudesse ser comercializado aqui precisaria de inspeção federal, SIF, ou convênio equivalente. Ou seja, é ilegal a sua comercialização em BH.

3. Rotulagem

Pesquisei em nossa legislação essa denominação ‘queijo serro da estrela’ e não encontrei nada, isso é importante para ditar os padrões e as técnicas a serem seguidas por um produto. Não entendo muito do funcionamento dos SIMs, talvez exista alguma peculiaridade nessa legislação que permita a criação de nomes de tipo de queijo locais. Se algum leitor souber mais sobre o assunto, por favor, conte para nós.

Resumo da ópera

O rótulo não está adequado. Induz o consumidor ao erro. Não está escrito que trata-se de um queijo processado. Quem compra precisa saber exatamente o que vai levar.

Quanto à qualidade, fica difícil julgar. Não tem como compará-lo ao Serra da Estrela, que é um queijo de terroir, de sabor complexo e inimitável. Poderia compará-lo a outros queijos processados e colocá-lo em um patamar mediano, já que o exemplar que experimentei tinha certo sabor residual metálico e acidez desbalanceada.

Mas se você quiser comprar mesmo assim, fique à vontade. Mas atenção ao custo benefício. Esse queijo custa R$100,00 por quilo! O preço fica no patamar de grandes queijos nacionais e importados. Acho que você ficaria muito mais bem servido comprando um requeijão de corte de uma marca tradicional, ou mesmo uma caixinha de catupiry.

Fica a dica.

*Em tempo: sabor metálico não é uma característica de queijos processados, mas um defeito relacionado ao uso incorreto do sal fundente.

**Atualização:2015-01-22-PHOTO-00000644 (1)

Aqui um exemplo do que a confusão com o nome pode causar. Uma revista mineira de grande circulação relata que determinado estabelecimento vende o queijo “tipo serrA da estrela”.

Anúncios

41 respostas em “Queijo Serro da Estrela?

  1. Oi Renata e Carla. Olha, este queijo foi desenvolvido em um dos cursos daqui da Rica nata. Mas foi a titulo de demostração. Mas o cliente fez pra vender e colocou este nome. Este queijo começou sendo uma mussarela recheada de requeijão de barra mais mole um pouco. Quando fizemos foi colocado o nome de queijo trufado, mas esta pessoa resolveu colocar este nome.

    • Oi Marco,
      Acho que o problema não é o queijo em si. A ideia é interessante. Se fosse vendido como queijo processado ok, mas a abordagem que eles dão não é legal. E vender a R$100,00 por quilo?
      Outro problema é que quando o produto chega ao mercado os vendedores, muitas vezes por falta de conhecimento, indicam o produto como similar ao serra da estrela português.Complicado…
      Você falou de uma coisa que eu tenho dúvidas: dar nome a um queijo novo. Como funciona isso?

      • Olá Renata, eu mesmo comprei dessa forma, como um similar ao português. Pelo preço que paguei (R$ 25,00 – Andradas | MG), não me senti lesado como o amigo acima.

  2. Boa noite Renata! Comi ontem um desses queijos, e minha conclusao é lidêntica à sua.
    Entretanto, gostaria de falar sobre denominações de queijos.
    Recentemente uns criadores da Paraíba tiveram indeferimento do nome dos queijos por eles escolhidos, todos com apelos regionais e culturais locais.
    A fiscalização queria que se denominassem os queijos como “tipo tal”.
    Ou seja: um processo ARTEsanal que tem seu fundamento exatamente no inusitado, no artístico, na novidade, não podendo se restringir somente ao que já existe.
    Não foi assim que os queijos no mundo evoluiram para esta grande diversidade existente?
    Deixem a criatividade correr solta. Não podemos fazer somente aquilo que já foi feito.
    Respeitemos a capacidade de discernimento do cidadão consumidor. Se este aceitar, aceitado deve ser.
    Nesse caso, acho apenas que houve má-fé, induzindo a erro. Propaganda enganosa.
    Onivaldo.

    • Olá Onivaldo,
      Li sobre esses queijos dos produtores da Paraíba. Você sabe, melhor do que ninguém, como é difícil conseguir qualquer coisa pelas vias legais quando o assunto é queijo.
      Você lutou muitos anos e venceu, esse pessoal do ‘serro da estrela’ preferiu um atalho contando com o pouco conhecimento do consumidor que ainda não reconhece o que é um queijo serra da estrela.
      Obrigada pelo comentário.
      Um grande abraço.

  3. olá Renata,
    o uso do nome de determinado tipo de queijo deve seguir alguns critérios sim. Se já há regulamentação, este deve segui-la. No caso do queijo acima, já que este tem denominação de origem, ele deveria ser, nomínimo, TIPO serra da estrela. Porém, para ser considerado tipo, ele deve seguir a mesma forma de fabricação da receita original, oque não me parece o caso.
    O registro de novos nomes de produtos de origem animal no Brasil é realmente difícil, já que o MAPA tem um procedimento demorado para registro de produtos sem regulamento técnico de identidade e qualidade (RTIQ). Muitas vezes o registro destes novos nomes é indeferido por o modo de produção deste produto “novo” ser igual ou semelhante a um produto com RTIQ já aprovado.

  4. você diz que o serro da estrela engana no seu rotulo mas você também engana seus leitores com seu titulo do tópico.
    “1.Não é queijo
    Na verdade pertence à categoria dos ‘QUEIJOS processados’…
    Não passa de um QUEIJO fundido mais duro por fora…”

    não deixa de ser queijo por ser fundido…

    • Caro Renato, bom dia,
      ‘Queijo’ é uma coisa, ‘queijo fundido’ é outra.
      ‘Queijo’ é um produto complexo, que requer cuidados como uso de fermentos especiais, maturação com temperatura e umidade controladas. Envolve muita técnica e arte. Ainda mais um “serra da Estrela” original.
      O ‘queijo fundido’ não tem nada disso. Pode até ter como um dos ingredientes queijos fora de padrão de umidade, por exemplo. Se o produto é ‘queijo fundido’ isso tem que estar especificado no rótulo, entendeu? Caso continue com dúvidas busque no Google pela legislação ‘regulamento técnico de identidade e qualidade de queijo fundido.
      Atenciosamente,
      Renata

  5. Comprei serro da estrela e gostei! Evidentemente q qualquer q conhece serra da estrela sabe que o quanto paguei (25,00) corresponderia a 50gr do queijo português! Se alguém acha q é possível um queijo deste nível aqui no Brasil por um preço inferior a 400
    Reais o quilo, ou não conhece o queijo ou achou q ia levar vantagem

  6. Apenas uma ressalva, o selo “SIM” é um produto para ser comercializado apenas no Estado de Minas Gerais/MG, e quando o selo é “SISP” ai sim ele pode ser comercializado no Estado de São Paulo/SP – E o selo “SIF” no BRASIL inteiro….

      • Olá Flávia,
        Pois no Mercado Central de BH sempre tem,rsrs.
        Por que a vigilância sanitária proibiu a venda, você sabe?
        Foi por causa de problemas sanitários ou foi algo relacionado à falta do selo adequado?
        Obrigada pelo comentário

  7. Sobre os SIM’s. O SIM (Serviço de Inspeção Municipal) habilita o produtor a comercializar os seus produtos em seu próprio município, enquanto o SISP (Serviço de Inspeção de São Paulo) habilita-o a venda dentro do Estado de São Paulo, e, por fim, o SIF (Serviço de Inspeção Federal) habilita-o a venda de seus produtos a nível nacional. Pronto, essa, era a informação que gostaria de repassar.

  8. este queijo era uma delícia quando vinha na embalagem de plástico, depois que mudaram para essa embalagem não ficou tão bom.. Antes era cremoso por dentro.. não compro mais.

  9. Eu, pelo Contrário, consumi, consumo e consumirei do queijo O Bom da Fazenda.
    Estilo Português mas fabricado no Brasil.
    É um produto artesanal, de Otima qualidade
    E todos que comprei sempre veem com o peso acima de 600 gr.
    Simplesmente perfeito emaravilhoso!!!

    • O que significa para você “Estilo Português” (seja lá o que isso for tecnicamente) principalmente se esse “estilo” é enganoso quando tanto os ingredientes como o processo de fabrico são diferentes – logo resultando em um produto diferente?

      O fato de vc achar de “Ótima qualidade” não lhe atribui Qualidade nem inverte o fato de – ao exibir um nome enganoso – ser uma produto contrafeito, o que é punido por lei.

      Mas talvez nada disso seja questionável para quem queijo é “apenas” queijo e, não sabendo o que é Queijo, não se importe de ser enganado!

  10. Tbm estou indignada comprei esse queijo,realmente a embalagem te induz ao erro,eu nao consegui achar nem o requeijao q dizem ter no meio,eu comprei aq em uberlandia,em um emporio.

    • Me perdoem mas, só é enganado quem quer ou quem não sabe que Queijo da Serra genuíno (ou Tipo Serra* feito em Portugal) é vendido sem embalagem, quanto muito apenas um invólucro de atmosfera protetora.
      *Tipo Serra são queijos fabricados exatamente com os mesmos ingredientes (leite de ovelha e coalho de flor de cardo) e processos do genuíno, só que já fora – às vezes por poucos metros – do mapa definido para a área demarcada DOP.

      • Prezado Miko, infelizmente o queijo a que nos referimos no post não é fabricado com tecnologias e ingredientes similares ao do Serro da Estrela. Sinto muito por lhe dizer isto.
        Mas se você gosta do produto, se dê o prazer de consumir.
        Nada como pagar por algo que a gente gosta !

        Obrigada por participar do blog.

  11. Foi muito bom ler esta postagem para entender o que aconteceu comigo. Comprei este queijo numa mercearia famosa da zona cerealista de São Paulo. Na verdade confundi o nome com o queijo português Serra da Estrela, que eu nunca comi, só vi pela Internet quando fazia pesquisas sobre turismo em Portugal. Agora entendi que comprei gato por lebre. Acho que o fabricante colocou este nome, super parecido, de propósito mesmo. Para enganar os desavisados. O pior é que coloquei o queijo na geladeira e o recheio, com promessas de ser molinho e cremoso, ficou duro. Então tirei da geladeira e deixei em temperatura ambiente. No dia seguinte ele começou embolorar por fora. O sabor ficou muito ruim… Eu não entendo muito de queijo, mas o sabor me desagradou muito. Conclusão, um queijo de 100 reais o quilo, foi quase inteiro para o lixo.

  12. Maravilhoso conheci na Casa Geraldo em Andradas MG e degustei com vinho, claro que comprei e neste momento, comendo com um belo vinho! Simplesmente amei!!!

  13. Bom dia,

    Comprei esse queijo e com pedaços de azeitona. Eu não conheço o verdadeiro. Comprei por ter azeitona e ser molinho. Eu paguei 30 reais no pote. Como nunca comi o outro, não posso comparar. Eu achei MUITO gordo e caro.
    Quanto custa o original?
    Obrigada por escrever e alertar.

    Izabel

  14. Tirando o fato de que realmente o nome escolhido induz algumas pessoas a imaginar estar comprando o de Portugal eu consumo este queijo processado e composto e, mantendo em geladeira dura mais de uma semana. Não se perde nenhum pedaço da “casca”.
    Acho sinceramente se o dono tivesse colocado simplesmente o nome ” queijo processado com requeijão dentro” ou qq outro nome como ” da fazenda x” menos gente estaria comentando dele como nós estamos fazendo.
    É mais um exemplo como os restaurantes ” sujinho ” de São Paulo e outros tantos exemplos por ai afora.
    Apesar de já ter ido a Portugal infelizmente não provei o tal do original “Serra da Estrela”. Com certeza é muito bom. Postarei quando provar.
    Em tempo: como bem disse a “m.margaridac,freitas nardin” que por sinal é portuguesa, o importante é gostar do que comprou pelo que comprou, seu sabor e seu paladar. Se é um queijo “brega” ou não eu também gostei. Pago uns 25 reais por 600 gramas e portanto não é um queijo caro.

    • Exatamente, João. Acho que os donos poderiam ter trabalhado para usar o nome fantasia “trufado” e ponto final. Talvez o nome do produto poderia ser “muçarela recheada com queijo processado”, sei lá. Pegou muito mal essa denominação muito parecida com a do queijo português. Fica parecendo que é para tentar enganar algum consumidor desavisado.
      Fiz uma atualização na postagem original e inseri uma foto do conteúdo de uma revista, olha a confusão que esse povo faz.
      No entanto, tudo que escrevi sobre esse queijo foi comparando com o “serra da estrela”. Não se preocupe, não existe queijo brega. Consuma o queijo que te faz feliz.
      Obrigada pelo comentário

      • Claro que não existe queijo “brega”, só existem queijos de primeira e de segunda. ;)))
        Em sua atualização, a tal revista exibe um “artigo” naturalmente encomendado pela dona da fazenda – ao estilo “press-release”/informercial – que, a não ser que a senhora seja tão ignorante que acredite ser verdade que produz um queijo “Tipo Serra da Estrela” – demonstra a intenção objetiva de ludibriar o consumidor!!!

      • Olá Miko,
        Há também a possibilidade de a pessoa que escreveu o texto tenha errado a grafia do nome. Não sabemos o que aconteceu… Como eu disse, esse nome gera muita confusão e o consumidor que não entende muito de queijos, ninguém é obrigado, pode sair prejudicado, não é mesmo?

  15. .
    Ganhei o tal “queijo serro da estrela”. Trata-se de óbvio queijo fundido, sem o declarar, nada especial.
    O “queijo do Brasil” é o mesmo do Rio Grande do Sul à Paraíba (dos muitos que já experimentei, com pequenas variações regionais (Serro, Canastra, por exemplo). Em Minas Gerais recebe o nome “Qieijode Minas”. Muitos deles são queijos excelentes, especialmente os curados e meia-cura, comparáveis aos melhores do mundo.
    O frescal não é nada, queijos apenas por definição.
    Infelizmente outros bons queijos brasileiros (quase todos do sul de Minas Gerais) são sucedâneos de grandes queijos europeus. Merecem menção o “chancliche” dos descendentes de árabes, temperado com “zattar”, de boa qualidade, e os sucedâneos de mussarela, da região da Serra do Cipó, com grande futuro.
    .
    O “Serra da Estrela”, caríssimo, é dos melhores queijos do mundo. Não merecia essa contrafação de má-fé.
    .
    Celso Paiva, Minas Gerais.
    .

  16. Sou Paulistano, moro em São Paulo, um amigo me trouxe ai de Minas Gerais o queijo Serro da Estrela, e pela apresentação e textura , abrimos um vinho Salton e devoramos o processado numa paulada só, e já encomendamos mais, quanto ao português, eu acho mais difícil pelo preço, e como diz o Zeca Pagodinho, nunca vi nem comi eu só ouço falar, gostei, e quem comeu aqui em casa aprovou, esmiucei a embalagem e encontrei três telefones inclusive um de SP, desde que seja higiênico, saboroso e acessível, eu vou pra cima , pois não tenho esse pedigree todo, tem muita gente se dizendo expert em queijo, e comprando quinquilharia da China, viva o prazer de ser feliz.

    • Caro Luiz,
      O ‘pedigree’ de uma pessoa não deve ser medido pelo que ela consome ou pelo que ela possui, mas pelos seus valores e pela sua ética. Se o queijo te satisfaz, aproveite, mas cuidado para não cair na pegadinha de comparar os preços dos dois queijos porque são produtos completamente diferentes como expliquei no post.
      Em tempo: a China ainda é forte em lácteos, mas com certeza no futuro teremos queijos chineses em nossos supermercados.
      Atenciosamente,
      Renata

  17. Ha um engano quando se atribui a esse queijo o valor de Cr$ 100,00 o quilo, pois o compro no valor de Cr$ 28,00 / 650 gramas, consequentemente o quilo sai por Cr$ 43,00.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s