Uma peça de parmesão pode ser um presente romântico? Como conservá-lo em casa?

Por Renata Curzi

Meu presente de dia dos namorados não foi nada convencional esse ano. Já que estou contando pra vocês aqui, obviamente foi um queijo (acompanhado de flores, imagino que meu marido quis correr riscos, mas nem tanto assim). Ganhei um parmesão inteirinho, 4.5 kg,  revestido por película  preta, maturado por 5 anos, comprado da reserva particular do dono do laticínio que fica na cidade onde moro. Um presentão?

Esta imagem possuí um atributo alt vazio; O nome do arquivo é paemesao-1.jpg
Em quase 2 meses já cavamos bem o parmesão, a textura está perfeita e nada de mofo, por enquanto.

Apesar de estar super curiosa para saber como o queijo estava e da insistência do pessoal aqui de casa, demorei umas 2 semanas para abri-lo. Estava indecisa em escolher a maneira de conservá-lo. A única certeza que tinha era que queria tirar lascas, para depois utilizar a ‘panela’ em uma receita especial, quem sabe no meu aniversário de casamento.  A questão era como conservar o queijo por 4 meses (calculei que consumiríamos 1kg/mês) sem perder suas características e sem desenvolver mofo ou ranço?

Não é a primeira vez que compramos um parmesão inteiro. Das outras vezes deixei o queijo à temperatura ambiente, mas observei que dessa maneira, por causa da falta de controle da temperatura, o queijo mofa, solta muita gordura (o que compromete a textura) e com o tempo há a formação de sabores indesejáveis.

Meu parmesão já cavado na geladeira em um saco plástico fechado com um arame de pão 🙂

Consultei 2 amigos queijeiros em busca de sugestões para conservação, tanto a minha companheira de blog a Carla Reis, quanto o Luís Carlos de Paula, acharam que a melhor solução seria escavar o queijo todo, congelar as lascas e utilizar a panela logo. Apesar de o congelamento acarretar alterações na textura, ele garantiria que o queijo não iria mofar.

Resolvi seguir a sugestão deles, mas antes pensei em deixar a peça protegida por um plástico dentro da geladeira e ir aproveitando o queijo em toda a sua potencialidade, retirando as lascas e observando: ao menor sinal de mofo, freezer nele! Quando isso acontecer conto pra vocês aqui.

Enquanto isso, já se vão quase 2 meses e o parmesão está se tornando um companheirão em tempos de isolamento social. Ele já veio pra mesa várias vezes pra acompanhar um vinho ou uma cerveja e conversas gostosas, divagações sobre o futuro, planos para depois que tudo passar…  No final das contas, um queijão pode ser mesmo um presente romântico. Funciona quase como o despertador daquele filme ‘Feitiço do tempo’, vive nos levando de volta para o dia dos namorados.

4 respostas em “Uma peça de parmesão pode ser um presente romântico? Como conservá-lo em casa?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s