Parmesão e Gin Tônica de Morango com Manjericão

Parmesão e gin com morango e manjericãoAndo inspirada pela minha ídola Madame Fromage, que vai publicar em março do ano que vem um livro só com harmonizações entre drinks e queijos. Estou ansiosíssima por esse lançamento! Enquanto o livro não chega para eu testar as sugestões dela, vou fazendo minhas experiências. As que funcionarem bem, conto para vocês aqui.

Para começar imaginei um drink que combinasse com os queijos da família do parmesão. Ando ruminando essa ideia há algum tempo porque uma das minhas maneiras favoritas de consumir os queijos dessa família é com morangos e creme de aceto balsâmico. Então por que não procurar um drink com esses ingredientes?

gin morango e manjericão

O resultado da pesquisa foi melhor do que o esperado: um coquetel com gin, morangos e manjerição. A combinação ficou per.fei.ta! O manjericão todo mundo sabe que vai muito bem com o parmesão. O gin foi uma surpresa para mim. Mas pensando bem, faz algum sentido: notas herbais e florais com um toque fresco são um ótimo complemento para os queijos dessa categoria.

A receita original você pode encontrar aqui. Vocês vão notar que fiz algumas alterações. É que eu testei bastante antes de escolher essa versão da receita. Ô vida dura, rsrs! Espero que vocês gostem da sugestão e divirtam-se tanto quanto eu quando forem degustar seu parmesão maturado, parmesão d’alagoa, grana padano, parmentino, parmigiano reggiano…

Parmesão d´Alagoa – o queijo da Serra da Mantiqueira

Por Carla Reis

Na minha última viagem à Juiz de Fora, como de costume passei em Aiuruoca para comer  pão de queijo e encontrei uma preciosidade: o queijo parmesão fabricado na cidadezinha de Alagoa , localizada no ponto mais alto da Serra da Mantiqueira/MG.

Alagoa2

O parmesão que pesava aproximadamente 1,2 kg,  tinha somente 20 dias de fabricação: estava novo, fresco , sem maturação. Mas decidi comprá-lo assim mesmo  e exercitar meus conhecimentos de “affineur” e fazer a maturação do  parmesão em casa – na minha geladeira.

E assim aconteceu:

Coloquei o queijo dentro de uma queijeira com tampa acrílica e o deixei na gaveta de legumes da geladeira.

A cada semana, todo sábado precisamente, retirava o queijo da geladeira  raspava a crosta e passava óleo de milho para evitar que a baixa umidade ressecasse demais o produto.

A arte da espera é mesmo contagiante: foram assim por 15 semanas e neste sábado após 105 dias de cuidados, eis que chegou a hora de partir meu parmesão:

Alagoa1

O aroma tomou conta da cozinha: a cor amarela ouro, levemente marrom próxima à crosta revelava que o queijo estava em seu ponto ideal de sabor.

Parti, e ansiosa provei:  consistência firme  mas fundente na boca. Sabor marcante, intenso, sal no ponto certo, muito aromático e diferente do parmesão tradicional, características estas que confirmam como é especial o leite produzido na Serra Altas da Mantiqueira – a qualidade das pastagens, o clima frio do alto da serra. Um verdadeiro queijo de “terroir” considerado  patrimônio cultural pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais – IEPHA.

Apesar de ser conhecido como “parmesão” o queijo d´Alagoa é um queijo artesanal produzido com leite cru, e não leva o nome de Parmesão, que é uma exclusividade dos produtos fabricados na Itália com DOC (Denominozione di origine controllata- Itália). O nome correto d queijo este é “Queijo Alagoa”.

Ah, já entenderam agora o segredo do pão de queijo de Aiuruoca, não mesmo? …

Alagoa3